Pesquisar

Utilizadores Online

We have 27 guests and no members online

As 25 palavras que marcaram 2014

In revista "Visão” de 30 de Dezembro de 2014

 

Sobre o autor

** Filipe Luís é um jornalista português.

A escolha é da revista "Visão", que publicou no penúltimo dia do ano corrente, o significado das palavras que marcaram o léxico político português – nelas incluídas 10 novos vocábulos, como é o caso do verbo "fantasmar"?...

Preventiva

Uma espécie de nova vacina? Não: é nome de prisão e está associada à expressão "medidas de coação". Para o juiz Carlos Alexandre, e no que se refere a Sócrates, é remédio santo.

 

Oi

Forma de atender o telefone no Brasil, ou forma de retirar valor à Portugal Telecom. Nome da empresa brasileira antes parceira e agora vendedora da PT. O mexilhão...

 

Avantajada

Da fama não se livram os deputados. E nós perguntamos: em que páginas do Facebook também podemos observar “raparigas avantajadas”?

 

Acometagem

O ato de "aterrar" em cometas. A ESA conseguiu colocar o robô “Philae” num destes objetos celestes, o 67-p e isso requer uma palavra nova.

 

Cante

E encante, com a elevação desta expressão musical alentejana a património imaterial da humanidade.

 

Mexilhão

Quem se lixa é o dito. Mas o primeiro-ministro (Passos Coelho) assegura que não foi o caso, durante a crise. A oposição, porém, aponta o dedo às lagostas.

 

Justiça

É cega mas teve os olhos bem abertos, em 2014. O colarinho branco começa a ficar um bocado surrado.

 

Tecnoforma

Uma nova maneira de manter a linha? Longe disso: tem a ver com o passado profissional de Passos Coelho e mete despesas de representação. E ainda estamos para saber se o primeiro-ministro saiu da forma.

 

Esquerda

Volver? Vamos sabê-lo para o ano. Para já, está cheia de movimento. Ou movimentos.

 

Fatura

Foi preciso o acordo ortográfico tirar-lhe o “c” para a andarmos a pedir em tudo o que é sítio.

 

Striptease

Neste caso, o bancário. Passos Coelho recusou fazê-lo, mas a oposição achou o primeiro-ministro demasiado pudico.

 

Ébola

Não é a ébola augusta mas tornou-se uma espécie de imperador dos vírus mortais. Arrasou uma parte de África mas o mundo continua a assobiar para o lado.

 

Vapear

Pode um condenado à morte pedir o último “vapeio” como antes pedia o último cigarro? O cigarro eletrónico veio para substituir o tabaco mas faz ainda mais fumarada.

 

Legionela

A bactéria foi uma espécie de “ébola português” e matou muitas pessoas, sobretudo no surto de Vila Franca de Xira. Mas foi controlada rapidamente.

 

Corrupção

Anda nas bocas do mundo. Ninguém a pratica, mas ela aparece feita. Uns são presos, outros são arquivados. Mas a justiça é cega  onde é que já ouvimos isto?

 

Taxinhas

São impostos pequeninos, no dizer do ministro da Economia, Pires de Lima. E quem gosta de os aplicar, acrescenta, é António Costa.

 

Triplete

Diz-se mais em Espanha mas o Benfica deu-lhe uso, ganhando a Liga, a Taça de Portugal e a Taça da Liga. De qualquer forma, espanhol é o que mais se fala, na Luz.

 

Citius

Tem nome de centurião romano dos livros do Astérix, mas tornou-se um “bug” informático que paralisou os tribunais. «Sinto-me tão fraquinha, Panoramix» podia ter dito a ministra da Justiça

 

Fracking

Uma técnica para transformar em energia o gás de xisto. Ponham-se a pau, aldeias históricas de Portugal.

 

Desculpa

Primeiro, foi a ministra da Justiça, depois o ministro da Educação. Ambos pediram perdão por erros cometidos. Uma nova forma de comunicação.

 

Instagram

Tem nome de medicamento, mas foi a rede social que mais cresceu em 2014. Uma receita de sucesso.

 

Jihadista

Foram sempre os combatentes do islão, mas este ano tornaram-se um sinónimo de militante do ISIS, ou Estado Islâmico. E há lá portugueses...

 

Gold

É a palavra inglesa para "ouro" e a palavra portuguesa para "vistos".

 

Primárias

Podia referir-se às escolas, mas tem a ver com eleições internas no PS. António Costa foi eleito por militantes e simpatizantes "candidato a primeiro-ministro". Os socialistas retiraram ensinamentos.

 

Tição

É o “petit nom” do Tribunal Central de Instrução Criminal. Esse, que trata a “criminalidade complexa” de que tanto se tem falado e de cujos processos o juiz Carlos Alexandre é, até agora, o único instrutor.

 

... e 10 novas 

Desde setembro que novas palavras são inventadas por um “redator comercial” de 31 anos, que não quer mostrar a cara. A sua página no Facebook, hoje tem mais de 13 mil gostos.

 

Totobolso

s. m. | Dinheiro que aparece de surpresa na algibeira de um casaco que não usamos há muito tempo.

 

Apneia moral

Suspensão temporária de convicções e valores que nos leva a concordar com taxistas em assuntos como política, futebol ou imigração.

 

Palestinar

v. | Adiar uma conversa importante e muito difícil até o tema se tornar impossível de resolver.

 

Cangurismo

s. m. | Ir passar férias à casa dos pais, com cama, comida e roupa lavada.

 

Fantasmar

v. | Sair de uma festa sem dizer adeus a ninguém.

 

Paralélia

s. f. | Quando a pessoa de quem nos acabámos de despedir vai na mesma direção que nós.

 

Pinguinar

v. intr. | Pequena caminhada com as calças pelos tornozelos para ir buscar um rolo de papel higiénico novo.

 

Organidrama

s. m. | Problemas de hierarquia dentro de uma empresa ou instituição. Quando alguém quer ser promovido e não consegue. Quando alguém é promovido sem saber porquê.

 

Astrolábia

s. f. | Capacidade de argumentação desenvolvida pelos portugueses a partir do século XV que sobrevive nos dias de hoje como “chico-espertice”.

 

Redesdizer

v. | Fazer um desmentido a um desmentido.

 

Nota: s.m.: substantivo masculino; s.f. substantivo feminino.